h1

Momentos!

04/09/2009

Hoje, sexta-feira, véspera da véspera da véspera do feriado de 7 de setembro, posso dizer que tive uma das mais incríveis experiências da minha vida até agora. Participei de um “encontro” de pessoas que possuem problemas graves em suas vidas e grande dificuldade em resolvê-los ou em, literalmente, se livrarem deles. Esses problemas? As drogas.

Essas pessoas buscam ajuda por vontade própria através da religião, de ouvirem palavras de força, superação, incentivo, futuro, amor e felicidade. Fui com um amigo que é voluntário e posso dizer que conheci outras pessoas transparentemente incríveis também. Ele me contou brevemente como tudo isso começou e só posso dizer que é realmente incrível e que, sei lá, para TUDO existe “uma luz no fim do túnel” e pessoas dispostas a ajudar.

Esse foi meu momento de hoje. É quase impossível traduzir em palavras tudo o que eu senti, tudo o que eu ouvi, tudo o que eu pensei. Me senti tão pequena e tão grande ao mesmo tempo. Tive vontade de rir, de chorar e de fazer os dois ao mesmo tempo.

Há coisas que acontecem que nos fazem pensar, revermos os conceitos de tudo que existe. Normalmente, passamos o dia inteiro sem reparar em nada. Nos concentramos no trânsito, no tempo físico, na roupa que iremos vestir, no nosso trabalho, no nosso almoço, nos prazos, nas contas que precisamos pagar, no salário que não vem, no trânsito novamente, no carro que tá fazendo um barulho estranho, no jogo de futebol que passou na TV ontem e coisas do tipo. Isso é a rotina. A rotina que não percebe mais nada.

Quando saímos disso e entramos num “mundo” diferente, convivendo com pessoas e problemas que não estamos acostumados, o dia muda, sua percepção muda, seus conceitos mudam. É inevitável.

Depois de tudo e todos que vi hoje, me peguei agradecendo muito por ser saudável, por não ter vícios, por ter família, por ter um emprego, por ter amigos, por ter que o que vestir. Me senti bem por ser uma pessoa que conversa com o porteiro, com o taxista, com o motorista do ônibus, com o gari e com um executivo, um empresário ou um advogado da mesma forma, com o mesmo respeito.

Talvez tudo isso mude amanhã e eu volte para a minha rotina imperceptível. Mas vou me esforçar cada vez mais para manter os ambientes onde eu vivo, minha casa, meu trabalho e a faculdade, os melhores possíveis. Continuar dando bom dia para a velhinha surda que caminha com um cachorro muito feio na praça perto de casa, continuar chamando a caixa do supermercado pelo nome que está no crachá dela e não apenas de “mocinha do caixa”, continuar tentando reclamar menos e levar a vida no senso de humor por mais chato que tudo esteja. E vou me apaixonar todos os dias. Essas coisas de sentir o coração acelerado, ficar com medo de parecer ridículo e morrer de ansiedade, por mais que às vezes doa muito, são muito boas! :]

Mais um post sentimental. Aproveite seus momentos, eles não duram pra sempre. Infelizmente.

Ah, os créditos do vídeo: Se chama “Moments” e  é do Will Hoffman. Tenho que dedicar esse post ao Gui de novo. Não sei porque ele lembra de mim quando vê essas coisas sentimentais! Hahahaha!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: